sábado, 7 de julho de 2012

Afogado



Tudo pelo que vivi, acabou, se apagou
Solidão me acompanha, tudo o que tenho, não me pertence!
Com o passar do tempo, nada mais me fez feliz
Tristeza, escuridão, simplesmente tudo acabou...


Eu grito, eu choro...

Não sei mais quem sou, não sei mais qual o meu caminho
Sinto vergonha, eu sei a verdade
Não quero me lembrar, quero apagar todos os momentos...


Silenciosamente me destruo, cada minuto é doloroso
Minha alma esta sangrando, sangrando
Meu espírito não existe, não agora
Estou sozinho, perdido. Alguém pode me ouvir?


Quero dar meu último suspiro, diante a verdade
Tentando entender, entender minha vida
Quero dar meu último suspiro, diante a coragem
Descobrindo quem realmente eu sou


Tenho ódio, não sei a fingir
Onde está a minha vida? 
Onde está o meu amor?
Como um doce veneno, minhas lágrimas escorrem.


Preciso me libertar dessa dor, preciso me libertar
Essa dor é insuportável,
Tem um espinho cravado no meu peito, sangrando.
Sem saber, eu estou sentindo
Estou caindo novamente, me afogando lentamente.

terça-feira, 6 de março de 2012

Tudo tão rápido


Como apenas mais uma pessoa em minha vida você apareceu,
Agi normalmente, pois você era apenas um ser desconhecido,
Sem saber o que falar, sem saber como agir, fiquei perdido...
Certos assuntos foram surgindo, certos comentários...
Comecei a me agradar com sua "presença",
Comecei a sentir a sua falta, por incrível que pareça...
Falo com você no telefone e meu coração dispara,
Vejo você por uma simples e pequena foto e não consigo parar de olhar...
Conversar contigo hoje é essencial para meu dia,
É essencial para me deixar feliz...
Foi tudo tão rápido, mas tudo tão perfeito,
Pois por mais recente que seja, já me faz feliz...
Sinto falta da sua voz antes de dormir, quando não falo com você,
Sinto falta do seu cheiro, sem mesmo ter sentido-o,
Quero estar dentre o calor dos teus braços...
Eu sei! Eu quero estar contigo!

segunda-feira, 5 de março de 2012

Derrotado


Cansado de tanta humilhação,
De tanta falsidade sobre o mesmo teto,
De ser tratado como ninguém,
Ser considerado apenas um nada que ocupa espaço e traz prejuízo,
To cansado, de ouvir falarem mal de mim pelas costas,
De várias vezes escutar algo e não poder fazer nada,
Cansado da vida, cansado de viver...
Não consigo mais me calar diante tanta hipocrisia,
Diante tanto desavença,
Diante tanta briga e discussão...
Uma hora isso cansa, uma hora toda a força que contenho vai embora, 
Todo poder que vinha diante minhas palavras somem,
Somem como se fosse vento...
Não sei mais o que fazer,
Realmente não sei...
Me sinto uma folha de papel amaçada, e sem mais valor algum...
Me sinto como um lixo,
Como um lixo...